Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A penitência de uma dona de casa que acha que tem um encosto

Diarística. Autoficção. Versos.

A penitência de uma dona de casa que acha que tem um encosto

Diarística. Autoficção. Versos.

Pois eles vieram e treparam à árvore como símios desimpedidos e amputaram-lhe os braços largos apontanto para o céu, caindo com estrondo de morto no chão, e deixaram-me aqui, olhando pela janela, vazia da noção do tempo. Nem as asas terão onde pousar, nem o pio se ouvirá, talvez longinquamente, fazendo-me menos humana no silenciamento das aves. Restam três ou quatro cotos cerrados, ruína contra o céu abafado e cinzento, telhas de barro negro e a calada e resignada noção de fim.