Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A penitência de uma dona de casa que acha que tem um encosto

Diarística. Autoficção. Versos.

A penitência de uma dona de casa que acha que tem um encosto

Diarística. Autoficção. Versos.

Na capital, 

tudo é científico:

Pé, mão, corpo, letra,

verso insuflado

não!

Na capital,

tudo é ciência:

a ave, o sol e o amor,

tão científico

que lá usam luvas

e dissecam

versos no laboratório.

É ciência, claro,

se eles a fazem,

como a não faz o 

Poeta?

Mas nós, aqui,

que não somos da capital,

avivamos, lustrosos,

o nosso fogo,

e deixamos

que sejam os poetas,

sem luvas,

queimar-se no que nós

não queremos ler

na frieza augusta

do laboratório.