Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Penitência

Diarística. Autoficção. Rompantes mais ou menos semânticos.

Penitência

Diarística. Autoficção. Rompantes mais ou menos semânticos.

O sol nos tapetes

Lavei os tapetes, escorreu para o chão a água excessiva. Outros excessos. Pele, cutícula, cabelo, migalhas de pão e cadáveres de melgas, sangue talvez. Sempre que os estendo, e estendo-os regularmente, vai-se distendendo o músculo, a prega da pele, e morrendo o corpo na diplomática higienização da casa. Depois secam ao sol, como invertebrados, de sangue frio, dele desafetos, e nem uma malha solta de Penélope, granjeando tempo, perenes e impolutos, os tapetes ao sol. 

A uma romã despojada

A romã apodreceu

de dentro para fora

sobre o centro de mesa engalanada

de viço.

Não mais 

o sangue fero

nem o maná leitoso

escorrendo adstringente

ante o alvor da boca

os dentes contra a língua 

em arredio recuo

lábios cerrados

contra a firmeza.

Secou

avelada

contra o cristal

que a ostentava

perene velida.

E agora é um

fruto agreste

bravio no trato

e duro na expressão

que não comove

nem assedia

sáfaro pinhal

em turfa

onde nem vem

o relento da maresia.