Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Penitência

Diarística. Autoficção. Rompantes mais ou menos semânticos.

Penitência

Diarística. Autoficção. Rompantes mais ou menos semânticos.

Desilusão, antevisão

Pessimista? Eu?, que rezo todos os dias a santinhos 

de pé de barro ou quebrado?

Antes me diga cética, jawohl!, 

com prazer de noviça enclausurada

por amor a Essoutro.

Guardo-me para o bem

e espero sempre o mal,

que é mais fácil pelejar

quando temos a lâmina

à mão. 

Não se iluda,

eu preparo-me para a 

desilusão

como sargento para a

guerra.

Mas da peleja,

ainda que sumidos,

ainda voltam alguns vivos,

da desilusão

é que não. 

 

Tudo nos ultrapassa, até a vida

Tudo nos ultrapassa,

o cartão de crédito do rent a car, o detergente novo da máquina de lavar,

o fascismo e a misoginia: não é coisa de preto nem de mulher folgada a democracia, 

bolçou, ignaro,

os corações perros, as pernas mancas, a desilusão, meniscos feros e fígados parcos,

a morte,

e até a vida,

que não é arável nem dizível, 

pranto gasto e coercível.

 

 

Hoje o diabo acordou feliz, e eu tenho acordado sempre tão pesada que se me sonega a vontade de lançar o pé. Mas a verdade é que o que tem por aí de mafarrico é coisa nossa, de homi e mulhê, e talvez baste isso para retomar a fé. 

O mundo é uma bola

O mundo é uma bola e quem anda nele é que se amola. Foi a minha avó quem disse. Sorriu-se, vi-lhe o trejeito grácil ao telefone. Nem tudo lhe é dor, ela é da lisura nobre da comédia trágica. Envelhece muito pouco acaciana, na pitada sibilar com que relativiza o mundo. Então, como estás? Muito candorça, mas a língua ainda não dói. Enche-me o coração no recém-descoberto desprezo viperino dos males pequeninos do mundo, dela mesma, despede-se com grande elevação do que só soube dar-lhe pouco. Tem fé por superstição, que, enfim, terei herdado, o rito que não cura, mas situa, ramos de oliveira benzidos no domingo de ramos contra as tonas das achas que ainda me estalam, pinheiro antes de carvalho, e Sta Bárbara q.b., e era poético que findasse a rir-se, que é típico das grandes mulheres a quem o mundo, abalando, não derreou. 

Sarim-sarilho Velho

Ó Sara, que te queria cantar alta, mas a voz recusa rouca e roufenha o trato da palavra,

nem fúria, nem belicosa canora tuba, 

e Tu que a mereces,

e eu calada.