Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Penitência

Diarística. Autoficção. Rompantes mais ou menos semânticos.

Penitência

Diarística. Autoficção. Rompantes mais ou menos semânticos.

Da fartura dos limites

Pois serei vergiliana, tomar-me-ei às costas e nada me surpreenderá, aplauso ou desprezo, meras circunstâncias, o meu limite sou eu e o fastio que me couber há de reverberar.  

TPC

O amor que te dou nunca foi breve

de índole bicéfala talvez

agrado e frustração

e se tu acaso me enjeitas 

é por vício facilitista

reconheço-to na fatigada agitação das mãos

no anúncio estreme da primazia de outrem

enciumo-me 

mais pelo mal em que te adivinho

do que pelo mal que em mim praticas

 

 

 

Es schneit

Neva. 

Salga-me a boca

à vista.

São de sal os telhados.

Luzentes, opalinos, 

corpo erguido do mar.

Em dissolvência.

 

Mote

Ora, foda-se!

dava um poema 

de talhe wittgensteiniano,

ou não fosse a interjeição

do fluxo

claro renuir.

E ele tem vezes que merda basta

e outras que não chega, 

como o riso enraivecido

mostra mais albugínea 

dentição.

E eu sempre gostei de me rir,

mais de mim do que dos outros

cujas agruras desconheço. 

Às minhas devo todo o fiel

de meu arremesso, mesmo

jurando parca a sua relevância.

Mas não fora ela

o bastante,

como cantava eu o meu cuidado? 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

outro dia

Veja, vizinha, é mais um dia que passa. A neve aclara o ambiente e restitui algum silêncio. Veja, um dia que passou e amanhã torna: há de ser parecido, curto e, ainda assim, longo. E que mais, estava para dizer-lhe mais, mas a verdade é que me esqueci, esqueça também, amanhã é outro dia. 

Welcome

Welcome to the country

where é giro ir viver para o  campo

after ter vivido na cidade. 

Welcome to the country

where nascer no campo 

ainda é marcador de casta. 

s/ título

Descansem, que a palavra agora é gosto e prazer, deixou-se de moléstias e marginalidades, intrigas e cicutas. Parece que é consensual e acalma como as tisanas, dá prazer e liberta endorfina. Nem coerciva, nem maldita, só bem, mas ao contrário, do lado de fora do dizer, entretém e passa-culpas. Por isso, não me peças para enterrar o dedo no teu lado, faz-me medo e agonia-me, eu trago sempre as mãos tão limpas, fiel resistente da acalmia. 

s/ título

Queria

(cria)

o labirinto

vens por aqui e sais por

ali

tornado cá

Mas e o sentido?

Sinto

muito

Não mais

que menos

é a tua absolvição da mão, da lenha, do fogo.

 

a mesma coisa

Pois vê e repara: a mesma coisa não a é

Só de viés

Nem de óculos nem sem eles

A mesma coisa pode ser a mesma 

Ou a sua outridade

 

Pág. 1/2