Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Penitência

Diarística. Autoficção. Rompantes mais ou menos semânticos.

Penitência

Diarística. Autoficção. Rompantes mais ou menos semânticos.

Ítaca ou um exercício de pontuação

não me dês Ítaca eu não saberia consolar a fronte contra seu regaço reconhecer as fauces a voz perita nos meus enfezados frutos ante a minha hipoacusia a mão desfechando ainda adeus no silêncio daninho da cicuta com que me desobrigam não lhes quero absolvição isso seria sucumbir vestir-me de vítima enamorada do carrasco e eu quero a minha cabeça sempre à beira do meu próprio patíbulo segregado à mão para meu infinito fim eu quero ser outra para não ser em mim eu quero a dúvida de ouvir gemer as sereias atada ao mastro pelos pulsos penitentes num consolo entumecido de criatura rugente

 

quem disse que Penélope não olvidou a malha

 

a pátria é um barco aparelhado

recusa de mormaço alienado