Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A penitência de uma dona de casa que acha que tem um encosto

Diarística. Autoficção. Rompantes mais ou menos semânticos.

A penitência de uma dona de casa que acha que tem um encosto

Diarística. Autoficção. Rompantes mais ou menos semânticos.

Às vezes, atemoriza-me a mulher que me observa do outro lado da janela. Sempre a mesma, aparição de improváveis momentos. É um rosto familiar, mas assusta, quer pela insistência, quer pelo crédito dado ao tempo. Não sou amistosa, ignoro-a até a deixar ir-se, olvidada, embora regresse, teimosa, ainda que já esmorecente, ri-se, que lhe ouço a gargalhada: vamos ver quanto tempo ainda te aguentas. Sorrio-lhe, então, sarcástica.

- E tu?

E apago a luz.